Com começo, meio e começo, ué?!

Quantas vezes já desistimos de alguma coisa ou alguém? 
Isso não é uma regra, já que muita gente por aí não desiste do que quer enquanto não consegue, e se por acaso não der certo em pouco tempo já esqueceu que um dia tentou. Pois bem, vamos reformular a pergunta: Quantas vezes já desistimos de nós mesmos? E isso vai além daquela dieta que começou na segunda e acabou na terça-feira.
Tem a ver com todas as vezes que acordamos e a vontade de sair da cama era mais negativa que a conta bancária depois de pagar a fatura do cartão ou quando bateu a certeza que aquele “agora vai” estava prestes a se tornar um “eu desisto”.
Pode parecer drama, mas se pararmos para pensar, sempre que desistimos de nós, em seguida voltamos animados e decididos a fazer com que a vida seja pelo menos um pouco diferente, com ao menos uma mudança de hábito.
Jogar tudo para o alto faz bem de vez em quando, mesmo que isso seja só dentro da nossa cabeça e não ao pé da letra. Por estar sozinho quem vai ter que recolher a bagunça? Exatamente! Mas ninguém melhor do que você mesmo para saber o que vale a pena recolher ou não.


Só mais uma fase

Crise todo mundo tem, seja com 15, 20 ou 30 anos, até mesmo o Brasil resolveu ter uma atualmente.
Quando alguém tentou te ajudar a superar esse momento deve ter usado a frase: “Vai passar é só uma fase”. Sim, como aquelas do Super Mario, o problema é que no meu caso nunca consigo terminar uma fase do jogo, aquela primeira tartaruga da primeira tela do primeiro mundo basta para me matar (e meus amigos podem confirmar que isso não é mentira).
Os anos passam e quando olhamos em volta vemos que nada do que tínhamos planejado até então virou realidade, é estranho. Talvez ficar mais velho traga esse negócio de buscar por respostas. 
Que graça teria chegar aos 24 anos e não ter mais nada para fazer? Não ter pelo o que lutar? O não acontecimento das coisas acaba servindo como um tipo de incentivo. Ok, concordo que a vida tem um jeito estranho de nos empurrar para frente, mas fazer o quê?!
Às vezes parece que ela nos leva mesmo para baixo, mas vai ver por cima não teria como passar ou era só aquela tela bônus das moedas onde o tempo acabou e você não conseguiu ganhar nada.
Mas se vale uma lição do video game que serve para a vida: nada é uma questão de sorte, e sim de insistir até conseguir. Algumas vezes me dá vontade de jogar Mário, assim como depois de tantos questionamentos bate uma animação para continuar vivendo e aprendendo.



imagem ilustrativa pois nunca cheguei nessa tela :(