O mundo é uma caixa de achados e perdidos

A gente tem dessas de esquecer as coisas né? 
Talvez você que esteja lendo não concorde, é um daqueles com memória fotográfica e sentidos sempre alerta. Pois esse já não é o meu caso, porque certamente eu esquecerei de pegar algo no mercado na hora da compra, vou esquecer de falar algo importante em uma entrevista e na casa dos meus amigos tem um espacinho reservado em cima da cômoda para todas as coisas que deixo para trás depois de uma visita.
Para os que julgarem isso como falta de atenção, pode até ser verdade, mas garanto que não é proposital. 
Por outro lado, já pensou se pudéssemos escolher o esquecimento e aplicá-lo em todos os momentos ruins que vivemos? Certamente a recomendação seria: Use com moderação.
O fato é que algumas situações são capazes de nos ensinar muito mais do que era esperado por isso não podemos apagá-las de vez, é como ter um check list do que não deve ser repetido.
Provavelmente seria vendido como remédio, neste caso, acredito que estaria na fileira de remédios contra a insônia. Com a finalidade de atender aos sentimentos e lembranças, seu efeito não teria o mesmo resultado com coisas do dia a dia. Então a chave do carro continuaria sumindo na hora de sair, ainda iríamos perder a caneta na mesa do escritório e por mais que a dica já tenha sido dada por aquelas que estão atentas a tudo, não acharíamos a blusa preta na terceira gaveta.
A vida é esse grande achados, perdidos e esquecidos. É começar falando de um assunto e terminar falando de outro, é ficar feliz com reencontros, porque de tempos em tempos perdemos algumas coisas que pareciam indispensáveis, mas por outro lado vamos encontrando outras melhores que preenchem um vazio que tínhamos esquecido que existia.

Segunda-feira em 6 rounds

dia
Depois de dois belos dias de descanso eis que a segunda-feira chegou mais uma vez. Não tem como evitar, a não ser que alguém invente um feriado. Corre que ainda dá tempo! 
Caso contrário, nos resta lutar para sobreviver. 

Round 1
O despertador tocou! Então coloca o casaco e vai enfrentar o mundo.
Pensando bem tira o casaco, ou melhor, deixa ele na bolsa afinal, aqui é São Paulo. 


Round 2
Todos os meios de transporte são cheios, mas sempre cabe mais um: Pessoal vamos dar um passinho para trás por favor?!


Round 3
Chegando no trabalho basta organizar as prioridades que tudo vai correr bem. Sobra até um tempo para ir  à copa cumprimentar os colegas de trabalho.   


Round 4 
A prioridade 1 vai para a lona quando aparecer um problema que precisa ser solucionado até meio dia! 

Round 5
A hora do almoço chegou e começou a luta para decidir um lugar que todo mundo concorde, mas quando enfim escolhem, é um restaurante que você não gosta muito. 


Round 6
Depois de sobreviver a todas as provações deste incrível dia, nunca pense em comemorar o fim da segunda-feita antes da hora, por mais tranquilo que pareçam os últimos minutos, não abaixe a guarda. 




Além de fazer, ser do bem

Às vezes parece que o mundo desaprendeu como é esse tal negócio de fazer o bem. 
Esqueceu o que é um elogio sincero ou uma ajuda sem esperar nada em troca, apenas levando em conta o simples sentimento de partilhar. 
Parece também que as palavras viraram grandes tesouros que resolvemos guardar dentro de um baú, tipo aquele marcado com X em mapas antigos, sendo que deveriam estar por aí ajudando alguém a ter um dia melhor. 
Ah que coisa mais cafona! 
Eu sei! Também sei que tem tanta coisa que você queria dizer e está guardando, sei lá por quais razões, então não vamos nos julgar. Ok?!
Até porque o mundo anda cheio de especialistas nos diversos temas que se possa imaginar, e digo isso sem medo de pensar nos maiores absurdos. Embora muitas teorias sejam defendidas com força de vontade (mais força do que todo o resto, inclusive com uma quantidade baixa de respeito), a realidade possui uma margem de erro enorme, que vai além do que já estava calculado. 
Então muda o foco da intensidade, tira ela da discussão e foca em viver. 
Passe adiante as melhores sensações que tiver, não estamos falando de algo gigantesco como doar metade do seu prêmio da mega-sena, na verdade os bens materiais nem estão nesta lista, estamos falando de coisas simples e de preferência cheias de sinceridade, nada forçado ou inventado apenas para agradar. 
Faça o bem para alguém, mas deixe que ele venha de dentro ao estilo naturalmente, sim, tipo aquela música que talvez você tenha acabado de lembrar. Não espere um obrigado imediato, porque não estamos em um daqueles filmes de recompensas, então lembre-se do que realmente importa: sentir-se bem consigo mesmo!