Pequeno imenso amor

Um ser tão pequeninho pode ser dono de um sentimento bem maior do que muitos achavam que poderia existir. 
A força de transformação que ele possui é capaz de mudar mais de uma pessoa, além de causar uma ansiedade que floral nenhum pode controlar. 
Sua chegada é como desembrulhar um presente aos poucos, descobrindo cada detalhe, desde a ponta do dedo do pé até o fio de cabelo que ainda é tão fininho. 
Olhando de longe parece ser frágil, mas não sei o que mais nesse mundo seria capaz de nos tornar alguém tão forte. Ainda pequenininha com apenas alguns centímetros, a sensação ao segura-la é como se o mundo estivesse por alguns instantes em minhas mãos. 
Não que eu fosse dona do mundo, mas é que aos poucos teria que te entregar e explicar como ele funciona, embora estejamos aqui a mais tempo ainda não sabemos ao certo como tudo acontece. 
Seu sono tranquilo é conduzido por leves movimentos nas mãos e alguns sorrisos, daria um bicho de pelúcia maior que você para saber com o que estava sonhando, mesmo sem descobrir acabo rindo também. 
Pelúcias, brinquedos cheio de cores, tecidos com diferentes estampas e sapatos com numeração mini chamam minha atenção no meio de tantas vitrines, desenhos e contos aos poucos vão tomar conta de toda a prateleira e passaremos noites viajando sem sair do lugar. 
Vou rever todos os filmes de quando eu era criança, escutar as bandas da moda adolescente e até ler o novo best-seller americano que tem grandes chances de virar uma sequência premiada do cinema, tudo para aproveitar ao máximo cada minuto com a minha afilhada. 
Quando você crescer verá todos os registros que fizemos, suas fotos ilustram "bom dia" e "boa noite", viram vídeos e textos, o assunto que rende horas, as melhores e mais espontâneas reações, os sonhos mais engraçados, a afinação de voz que supera a timidez, apelidos para lá de criativos e o amor mais puro que conheci até hoje.

Inspirado por Júlia. 
afilhada